O sentido de amar - Parte 5

Para amar e ser amado

Parte 1 I Parte 2 I Parte 3 I Parte 4 I Parte 5

Saber amar é uma aprendizagem contínua que se inicia na infância e continua pela vida fora. Talvez esta parte não seja uma novidade para si. O que talvez seja é saber qual é o verdadeiro sentido de amar? Engrandecer a vida, ser-se reconhecido, sentir-se mais preenchido, ... Qual é o seu? E perguntamos-lhe ainda: Qual é o sentido de amar alguém quando se esquece de amar a si próprio? É o seu caso?

Ao longo das últimas quatro publicações sobre O sentido de amar (poderá revê-las no IKOUPLE blogue ou no facebook) fomos-lhe deixando algumas dicas relevantes para enriquecer o seu autodesenvolvimento relacional e afetivo. Hoje convidamo-lo de novo à renovação do amor!

Para que tudo funcione na relação há que combinar todos os seus ingredientes básicos. Um deles é a autoestima e outro é o respeito... por si e pela pessoa que tem ao lado.

Se assim for, será mais fácil acompanhar os seguintes princípios que deverão estar sempre presentes na relação:

1. Compromisso. Desejo claro de ambos permanecerem juntos.

2. Às claras. Uma relação em simultâneo, uma homossexualidade não assumida ou um filho extraconjugal, são exemplos de segredos graves que comprometem a qualidade diária da relação e a promoção de um ambiente saudável entre o casal. Acredite! Portanto, coloque tudo às claras!

3. Afinidades. Terá de haver o mínimo de compatibilidades e interesses comuns.

4. Autoestima. Ama-se tal como é? Alguém que não goste de si próprio não saberá exigir o respeito que merece e, portanto, essa relação estará condenada logo à partida. Sem amor próprio, o amor conjunto será sempre incompleto e a relação, mais tarde ou mais cedo, seguirá um caminho torto! Gostar de si não significa que seja um Ser perfeito; ninguém o é! Significa que reconhece as suas fraquezas, tal como as suas virtudes e que investe continuamente no seu desenvolvimento pessoal. Acredite em Si.

5. Interesse pelo outro. Cuidar de quem se ama, sem recurso a qualquer tipo de violência; querer o seu bem-estar físico, psíquico e emocional. Estar disponível para comunicar com eficácia.

6. Saúde mental. O nome pode soar feio mas é muito importante e faz parte do que somos. Não é preciso estar doido para que a saúde mental seja abalada. Basta ter uma depressão, por exemplo. E quando estamos mal transportamos esse mal-estar até para dentro da melhor das relações. Portanto, cuidar do seu interior é o primeiro passo para conseguir estar com o outro.

Poderá chamar-lhes princípios básicos da felicidade relacional ou requisitos chave para amar e ser amado. Dê-lhes o nome que desejar. O importante é que os tenha sempre presentes e que se sinta genuinamente feliz na sua relação.

O programa IKouple, exclusivo d’O SEU IKIGAI, orienta-o no desenvolvimento relacional e afetivo. Auxilia a procura de respostas a receios, dúvidas e expetativas, relacionadas com a vida amorosa. Permite conhecer os perfis motivacionais pessoais e do casal, alinhar necessidades individuais, traçar metas comuns, rever prioridades e muito mais, melhorando assim a qualidade e a saúde da relação. Saiba mais sobre o IKOUPLE e faça já a sua marcação.

Boas escolhas!

Imagem I O SEU IKIGAI

#Ikouple #IKouple

Ainda não encontrou o seu IKIGAI? Subscreva a newsletter e receba nossas pistas!