O segredo do menino que não gostava de ler

Havia um menino na escola primária que não queria ler e, mais, nem sequer gostava de livros. As letras não o fascinavam, de forma alguma!

O que teria acontecido àquele menino para rejeitar qualquer livro de histórias?

Ficámos intrigados e quisemos saber porquê. Então, descobrimos (ou melhor, comprovámos) que o problema dele é igual ao de tantos outros meninos e meninas, jovens e até adultos! Foram esquecidos... no meio de tantas preocupações, obrigações e lutas diárias dos seus pais e educadores, esqueceram-se de ensinar o gosto pela leitura!

Sim, isso também se aprende e é tão importante para o nosso bem-estar e estabilidade na vida, como aprender a comer ou a fazer uma boa higiene.

Senão, repare!

De acordo com os resultados globais de estudos nacionais e internacionais, Portugal apresenta níveis de literacia claramente abaixo da média europeia, em todas as faixas etárias – crianças, jovens e adultos. Os conhecimentos e as competências no domínio da literacia na altura da entrada para a escolaridade básica são quase sempre fracos; e a avaliação da qualidade da leitura coloca 48% dos nossos jovens num nível, também ele, significativamente inferior. Conclui ainda, que esta situação está refletida nas elevadas taxas de insucesso e de abandono escolar que Portugal contabiliza e que a minimização destes resultados está no desenvolvimento de programas de literacia no jardim-de-infância. (Relatório OCDE: “Universal Basic Skills”)

Quer dizer então que em Portugal o domínio da literacia das crianças, no momento da entrada para a escola, é maioritariamente fraco?

Sim, sendo esse o desencadeador das elevadas taxas de insucesso e de abandono escolar!

Sem querer alarmar, esta notícia é um pouco preocupante, não acha?

Então, o que podemos fazer, nós adultos, para incutir o gosto pela leitura às nossas crianças?

Na nossa opinião, acreditamos que a solução que produz melhores resultados e durabilidade no tempo, passa pelos pais se tornarem agentes ativos no processo de incutir ao filho o gosto pela leitura, desde tenra idade. Independentemente dos programas de literacia que o infantário do seu filho possa implementar, existem estratégias de estimulação literária que, no seu papel de educador, poderá desde já colocar em prática.

Selecionámos para si, 9 ESTRATÉGIAS DE SUPORTE À DESCOBERTA DO PRAZER PELA LEITURA nas crianças.

1. Comece por dar o exemplo e pratique hábitos de leitura. Nestas idades, a influência dos pais é bastante notória, para além de que a aprendizagem através do exemplo é a mais significativa.

2. Crie a hora da leitura em família. Estipule um horário engraçado e realista em que todos terão de ler. Poderá ser uma leitura conjunta ou individual mas quanto à criança não a deixe por sua conta. Se o fizer, estará apenas a proporcionar uma exposição de letras, sem qualquer significado nem prazer para ela. Nestas idades, estando em pleno processo de alfabetização, estas atividades devem ser sempre assistidas e orientadas por um adulto. Neste ponto, poderá também preparar um cantinho da leitura em casa que seja convidativo – deverá ser bastante confortável, agradável e associado ao prazer. E porque não cruzar leitura com natureza?

3. Explique a importância da literatura na nossa vida. Para que a criança entenda a mensagem, deve recorrer a aspetos visuais e que lhe despertem alguma curiosidade para querer saber mais. Transmita-lhe a felicidade que é poder saber ler e escrever o que quisermos e a sua utilidade no dia-a-dia. Por exemplo, mostre-lhe como as letras estão por todo o lado e que é importante ler o que está escrito nas embalagens, antes de escolher os brinquedos, os cereais, os iogurtes, os livros, etc. Visitem juntos bibliotecas e livrarias, mostre como é feito o papel e como se chega a um livro.

4. Dê a conhecer diferentes fontes de leitura – livros de contos de fadas, dicionários infantis, bandas desenhadas, revistas, jornais, vários tipos de embalagens (cereais, bolachas, leite), textos da internet, panfletos engraçados, convites de aniversários/casamento, etc. Explorem juntos várias fontes e fale-lhe dos conhecimentos que eles têm guardados.

5. Selecione os livros certos. Isso significa que terá sempre de ter atenção à idade da sua criança, às características do seu estádio de desenvolvimento, ao ritmo de aprendizagem e aos próprios interesses do momento. (leia também os 5 passos na seleção de livros infantis)

6. Leia histórias para e com a criança. Complemente o que lê com as ilustrações do livros e coloque vida na leitura que faz. Faça entoação na leitura e recorra a gestos e expressões faciais enquanto fala. Poderá até fazê-lo de forma teatral. Caso o seu filho lhe peça para ler a mesma história muitas vezes, não se zangue! Isso é bom sinal! Significa que ele está a trabalhar internamente alguma situação que essa história explica e, por isso, tem necessidade de a ouvir várias vezes. Portanto, fique feliz e leia-lhe a história tantas vezes, quantas as que ele pedir.

7. Peça à sua criança que lhe conte histórias. É claro que não vai ler o que está escrito mas sim o que ela pensa estar escrito, ao seguir as ilustrações. É mesmo assim! Neste seguimento, desafie-o também a criar o seu próprio repertório de histórias. Para o ajudar nesta tarefa criativa poderá, por exemplo, dar-lhe uma imagem, um livro ou uma frase para se inspirar. Verá que é divertido.

8. Potencie a consciência fonológica. A consciência fonológica está intimamente ligada à leitura e à escrita, e é a capacidade de perceber que o discurso é constituído por frases, que as frases são um conjunto de palavras, que as palavras podem ser divididas em sílabas e que estas, por sua vez, em fonemas. Para ajudar a criança a identificar e manipular as palavras nas suas unidades mínimas (fonemas) pode brincar com ela através de jogos de palavras. Por exemplo, cantar com ritmo as palavras, escolher as que rimem entre si, encontrar palavras que iniciem ou terminem com o mesmo som.

9. Mais importante do que ensinar a criança a ler é incutir-lhe o gosto pela leitura. Portanto, nada de pressões, nem de obrigações. A presença de um livro ou de outra fonte literária deve ser sempre associada a momentos lúdicos de prazer e conhecimento.

Verá que estes cuidados irão captar a atenção da criança e, naturalmente, despertar nela a curiosidade pelas letras e pela leitura.

Aplique-as com o seu pequenote e partilhe connosco a sua experiência na nossa página do facebook.

Veja as competências que a leitura desenvolve:

  • vivência de emoções positivas - alegria, entusiasmo, gratidão, amizade, etc.,

  • alargamento de vocabulário,

  • sensibilidade estética para o comunicação verbal

  • desenvolvimento do pensamento,

  • organização da visão do mundo,

  • compreensão causa-efeito,

  • juízo crítico,

  • raciocínio,

  • consciência fonológica,

  • domínio de palavras e da gramática,

  • comunicação/conversação,

  • resolução de problemas práticos,

  • enriquecimento cultural

  • compreensão do meio físico e social,

  • memorização,

  • motivação,

  • concentração,

  • curiosidade,

  • imaginação,

  • criatividade,

  • autonomia,

  • melhor rendimento escolar

  • maior sucesso na vida

O programa IKids, exclusivo d’O SEU IKIGAI, é um plano personalizado de desenvolvimento pessoal para crianças que trabalha as competências básicas emocionais, cognitivas e sociais, necessárias às futuras aprendizagens escolares e de vida. Conheça melhor o IKids e marque já o programa para a sua criança.

Imagem I O SEU IKIGAI

#IKids